22.11.07

Sobre pais e filhos

Um menino e uma trave de futebol improvisada.
Bola? Não.
Mas para um menino de dois anos, ter uma bola ou não ter uma bola não faz a menor diferença.
Ele chuta a bola para o gol. “Goooool”! . Corre para longe, volta driblando seus adversários, e... "gooool". E outro. E outros tantos. Nenhum chute é bola na trave, todos terminam em gols calorosamente celebrados.
Aí chega o pai do menino.

- Pai, chuta a bola!
- Mas não tem bola, filho.

9.11.07

Maria

Sofrida. Passou muita coisa na vida. Tem fé. Tem vela todo dia. Tem café com pão fresquinho. Todo dia. Tem filho sorrindo. Tem família reunida. Tem dias que chora (desiludida). Tem dia que ri. Tem dias. E vela, todo santo dia.

7.11.07

Tempo

Aqui está o pó mágico que fará tudo voltar a ser como antes.
Toma. Pode levar, é de graça.
Basta jogar no ar e respirar bem fundo. Três vezes. E pronto. Tudo de novo, como antes. Como ontem.
Não é isso que você quer? Então.
Mas atenção: o produto é contra-indicado para as pessoas que desejam ir além.
Pense bem.

1.11.07

Quem tiver olhos, que veja

Pare de olhar o próprio umbigo e comece a observar. Se você não vê, não sou eu quem vai mostrar. Certas coisas só têm valor assim, brotadas de dentro, sem ajuda de fermento. Por outras bocas, palavras poucas. Se você não vê, não vê. Eu não vou gritar para te convencer (já fui rouca, hoje minha fala é branda).

Sentido(s)

Quem tiver ouvidos, que ouça
Quem tiver olhos, que veja
Quem tiver boca, que cale