1.11.07

Quem tiver olhos, que veja

Pare de olhar o próprio umbigo e comece a observar. Se você não vê, não sou eu quem vai mostrar. Certas coisas só têm valor assim, brotadas de dentro, sem ajuda de fermento. Por outras bocas, palavras poucas. Se você não vê, não vê. Eu não vou gritar para te convencer (já fui rouca, hoje minha fala é branda).

Nenhum comentário: