4.3.08

Eu e o texto de Rubem Alves

Às vezes sou ética de princípios. Outras, contextual. Menos esta, mais aquela, confesso. Mas tenho descoberto que o princípio pelo princípio me endurece, enquanto o princípio contextualizado me liberta. Claro que essa não é a regra. Às vezes é ao contrário. Como tudo que é sentido na vida. Transformo-me. Aos poucos. Princípios, trago tantos. Mas não sei ainda se me servem ou se sou eu quem serve a eles. Vezes eu, vezes eles. Sei que encho a boca para cobrar os mesmos tantos dos que me acompanham. Estes que tentam acertar apesar dos tropeços. Revendo, diariamente, seus contextos. Na verdade que é só minha, penso na idéia de princípios contextualizados. Pois não creio na ausência total de princípios, tampouco na atitude puramente contextualizada, sem um pensamento curtido por trás. Nem isso, nem aquilo. Acredito, hoje sinto, na ética dos princípios contextualizados. Mas entendo que nem sempre é possível. No fundo, luto pela ética de aceitar o ser. Sendo, sinceramente, tudo o que pode crer.

2 comentários:

Anônimo disse...

VIVO NUM ETERNO CONFLITO TAMBÉM...O QUE É CERTO? O QUE É ERRADO?
MARIAH

osátiro disse...

Ética sem dúvida o que devia ser mais importante no relacionamento humano.
mas não é fácil acertar nela...