29.5.08

a maré

não me peça para explicar
o que eu não posso ser
aceite-me
(ou não)
e lembre-se:
eu não sou chão
eu sou água
(de mar)
por isso
posso mudar
mas naturalmente
(lunar)
se você tentar controlar
eu vou escapar
(feito água)
por entre
seus medos
desenho: Tresa Sousa

8 comentários:

Fabiola disse...

ai que lindo

pq as pessoas tem mania de tentar mudar as outras
ai

Jéssica Bueno disse...

Oláá! Bom, adoro o que vc escreve, gostei da analogia sobre agua e sobre vc!
Já terminou o colégio?
Beijos

(l' excessive) disse...

Seus SUSPIROS são de tirar o fôlego!
Tenho postado alguns deles no meu blog (com os devidos creditos, of course) pois são realmente lindos.
Parabéns, menina!
Beijo pra voçe

Mariah disse...

e nem tente me represar...
mariah

J.F. de Souza disse...

CARAMBA!!! BÁRBARO!!!


Adorei!

Nadja Reis disse...

Lindo poema! bjosss

Grazielle disse...

Sabrina, perfeito!
E que sejas sempre água. Porque ser sempre chão deve ser muito chato!
Parabéns pelo texto

Ah! E gostei mto do desenho tb! A ilustradora tá de parabéns

Monique Frebell disse...

Simplesmente P E R F E I T O!

Amei esse tbm!