21.12.09

.dos defeitos



luto contra meus defeitos
luto com dores no peito
luto sem trégua
luto com lágrimas

e
tento acabar
com cada um deles

não sei se acabarei com eles
não sei se acabarão comigo

não sei se
nem isso
nem aquilo

sei que
talvez, no final
eu descubra afinal
que alguns meus defeitos
eram muito bem feitos

(e, nesse momento,
os defeitos vencidos
olhando-me de longe,
gritarão: “bem feito!”)




imagem: Majeak Ann

18.12.09

.das faltas









hoje
falta-me a leveza
dos tempos da adolescência

hoje
falta-me a certeza
de que o tempo trará as respostas

hoje
falta-me a serenidade
por crer que tudo está em seu lugar

hoje
falta-me o riso
que explodia no meio do caos

hoje
falta-me a paz
que invadia meu peito sem pedir licença

hoje
eu já não lembro mais
do instante em que desaprendi a sorrir

imagem: Irisz Agocs

20.10.09

segredo


você aparece
em meus sonhos

trazendo a certeza
de que somos

e de que há tempos
nos damos

você aparece
em meus sonhos e

num instante
eu desperto e

de olhos abertos
de novo te encontro

e sonho
imagem: Irisz Agocs

7.10.09

E você...


... adora balões coloridos e bolhinhas de sabão. Acorda sorrindo. Quer saber tudo de tudo. Come três bananas seguidas. Conta seus causos com detalhes e entonações. Diz “obrigada” e “obrigada você”. Adora laranja e mexerica e limão. Segura o xixi para não parar de brincar, depois corre para o banheiro e faz xixi na calça, na frente do vaso sanitário. Adora segurar o gato no colo (e está tentando pegar os pintinhos, mas a galinha ainda não deixou). Reza para o anjo da guarda antes de dormir. Não gosta de colocar fivelinhas no cabelo. Faz todos os dias algumas mesmas perguntas. Adora andar descalça (e vive perdendo os sapatos por aí). Diz que sabe correr mais rápido do que um cachorro. Não gosta de escovar os dentes. Fala ja-bu-ti-ca-ba bem certinho e pausadamente. Adora livros e gibis. Acorda no meio da noite falando, pegando coisas no ar, e depois cai no travesseiro de novo. Devora palmitos e azeitonas. Pede para dar a mão na hora de dormir. Adora olhar os passarinhos. Diz que quer um irmão e uma irmã. Já coloca a roupa sozinha (mas às vezes não quer). Corta os legumes para a sopa junto com a mamãe. Pede quase todos os dias para ir nadar na lagoa. Beija, beija e beija. Abraça, abraça e abraça. Diz que quando tivermos asas iremos todos para o céu. Faz da minha vida um perfeito céu. E mais. Sempre mais.

27.8.09

dias.

dias em que dou-me conta de que a amoreira encheu de folhas e de pequenos frutos inda verdes. dias em que os passarinhos passam a tarde toda passarinhando no meu quintal, bicando os abacates recém caídos do abacateiro. dias em que, olhando bem, desconfio que a gata está grávida, pois anda mais gorda do que o gato. dias em que o sol chega cedo e aquece as cores no varal. dias em que descubro um ninho que a galinha fez, bem escondidinho e disfarçado com palhas e folhas, e já com dois pequenos ovos aguardando para serem chocados. dias em que as sementes de mamão plantadas no mês passado resolvem brotar no vasinho. dias em que as cachorras, os gatos, e as galinhas dividem o quintal harmoniosamente. dias em que a grama está coberta de folhas secas. dias em que a varanda está cheia de crianças sentadas no chão, comendo mexericas. dias em que as formigas fazem trilha pelo arame do varal, e por lá caminham em fila, sempre juntas, uma atrás da outra, outra atrás da uma, passando pelas pequenas lombadas formadas pelas roupas penduradas. dias em que os tucanos aparecem nos galhos mais altos. dias em que abro a porta e me deparo com florzinhas brancas e lilases recém brotadas no arbusto até então sempre verde. dias em que minha filha chega em casa descalça e com as mãos cheias de sementes garimpadas pelo chão de terra. dias. que dias!
imagem: Irisz Agocs

17.8.09

vez sou outra

por vezes
por algumas (raras) vezes
sou exatamente como gostaria

9.8.09

A vida tem sons


Lembro das suas colagens. Aquela sua pasta amarela enorme. Os seus livrinhos de músicas. E você tocando violão. E nós cantando juntas. E aquela música do tibum tibum que você me ensinou. Você nas reuniões da minha escola. E o Oswaldo Montenegro. E o direito. E (só) você que ri das minhas piadas. E os dias que você me buscava na faculdade. As tantas vezes que eu dormi na sua casa. E a costura. E você que me pediu para abraçar as meninas caso ocorresse um terremoto na casa da mamãe. As meninas. Ah, as meninas! Muito amor. Muita risada. E a sua mão estendida, sempre. E tantas e tantas coisas mais dividimos. E outras tantas e tantas mais me levam a você. E levarão sempre. E um segredo: uma vez, quando eu ainda era criança, lí na contra capa de um caderno seu o seguinte verso: “A vida tem sons que pra gente ouvir / precisa aprender a começar de novo / é como tocar o mesmo violão /e nele compor uma nova canção”. Na época eu sequer conhecia a música. Mas esse verso ficou rodando na minha cabeça de menina, querendo entender o seu sentido. Alguns anos depois a música chegou aos meus ouvidos, despretensiosamente, enquanto eu ouvia rádio. Conheci a música, reconheci o verso. Como um filme, tudo voltou na minha cabeça: o seu caderno, a sua letra, o verso. E hoje, repetidas vezes, em diferentes momentos, essa música chega aos meus ouvidos. E eu me lembro de você. E do seu caderno. E da sua letra. E lembro que posso começar de novo, que posso sempre compor uma música nova, com o meu velho violão de sempre. E é exatamente isso que eu desejo a você hoje: a certeza de que podemos sempre começar de novo, pois a vida nos guarda infinitos sons. Exatamente como você, um dia, sem querer, me ensinou. Amo você. Feliz Aniversário!
Imagem: Jana Magalhães

31.7.09

te das cuenta?


(clique na imagem para ampliar)
Quadrinho: Liniers

16.7.09

filha e mãe


Sem a menor pretensão, e com a mais perfeita arte, você, a cada segundo, ensina-me a viver. E eu inda tenho tanto, tanto a aprender. Quero rir com você, sempre. Quero estar ao teu lado, sem tempo. Quero olhar fundo nos teus olhos, a cada momento. Quero aprender toda essa delícia de vida que você, todos os dias, me ensina. Obrigada, minha menina querida. Muito obrigada.

24.6.09

estrela minha

no meio de tanto céu
ao lado de tantas outras
mora minha estrela favorita

(tão presente no meio de tanto passado)

olho para o céu sorrindo
longe e longe e longe
a estrela brilha

e ilumina
dentro e fora
de mim
imagem: Liners (adaptada)

9.6.09

amor_tece


nada de fora.
tudo aqui dentro.
sempre.

e eu não vou dizer.
eu não quero explicar.
eu não sei falar.

eu.
sinto.

e sei.
que um dia
um olhar me decifraria.
imagem: Irisz Agocs

27.5.09

contentamento

hoje ela sabe (ou quase)
que só ela sente - o que sente
olhando as estrelas
.
.
.
solitariamente
contente

19.5.09

voando


busco
a cada segundo

coragem

para flutuar

acima
de toda a poeira

do mundo

1.5.09

muda

como explode o fruto
quando a árvore madura

como explode o riso
quando o coração é tocado

como explode a poesia
quando encontramos a vida

assim também explode o ato
quando as palavras (todas) já foram ditas


imagem: Irisz Agocs

16.4.09

a insustentável leveza do ser

inda falta um bocado de coragem
para eu rasgar o coração
e mostrar a minha alma

inda falta um bocado de passos
para eu viver cá de fora
o que guardo aqui dentro

inda falta um bocado de querer
para eu poder
enfrentar-me

30.3.09

sutileza de amar


que saibam ser sós
que saibam ser juntos

que saibam ser “sim”
e saibam aceitar o “não”

que saibam ouvir
e que saibam mudar o tom

que tenham longas conversas
e que possam entender-se em um único olhar

sutileza de amar

que saibam ser novos
a cada novo dia

e sinceramente
doar-se

que cuidem
que reguem
que zelem

para que os anos conservem
toda essa poesia no olhar

de tanto amor
de tanto amar
_____________________________________________

* Com todo meu carinho, para Mel e Tião.
(obs.: e com a certeza de que sou melhor
escrevendo do que declamando!)
;)

19.2.09

clareando

minha menina querida
vamos juntar nossas fitas
em uma ciranda improvisada

vamos dançar de mãos dadas
vamos brincar descalças

e esquecer da vida

pois só assim
(esquecida)

a vida
faz sentido