8.12.10

contrapartida

eu tinha muitas angústias.
parecia-me que os meus quereres iam na contramão do mundo.
queria a sorte de um amor tranqüilho.
queria filhos cheios de infãncia, com pés sujos de terra e pele corada de sol.
queria poder cuidar da minha vida, de cada pedacinho dela.
queria a tal flor branca e amarela.
queria distância da falta de sentido, dos olhares perdidos.
sim, eu queria o meu copo cheio.
meu coração satisfeito.
do meu jeito.
e isso tudo me angustiava.
até o dia em que eu descobri que eu posso fazer escolhas na vida.
e esse foi o meu ponto de partida.

30.11.10

foi assim


.todas as vezes que escolhi o caminho que
- nos meus pensamentos -
faria o meu coração transbordar

ele transbordou mesmo.

23.11.10

.das lembranças (ou: eu, meu pai, e minha filha)

É tempo de manga por aqui.
E, no meio desses dias, estou eu cortando manga para a minha filha.
Enquanto a faca divide as fatias, eu me lembro do meu pai. Era com ele que eu comia manga quando pequena. No canto da pia, ele cortava a manga em cinco pedaços, sobrando o caroço para ser chupado. O caroço era meu, e os pedaços nós dividíamos. Tudo era feito com muita calma. E sorrisos. Terminávamos com uma bela lavada das mãos e da boca, que por vezes acontecia no tanque da lavanderia mesmo. Hoje eu corto a manga para a minha filha. E conto para ela as minhas histórias de menina. E, junto com cada pedaço, saboreio lembranças da vida.
Eu, meu pai, e minha filha.

4.8.10

Beatriz

nasceu minha menina
trazendo o cheiro da vida
(cheiro de recém-nascida)
nasceu minha menina
trazendo tantos sons
(murmúrios em vários tons)
nasceu minha menina
trazendo calmaria
(no meio do furacão)
nasceu minha menina
mais um presente na minha vida
(enchendo meu coração)
nasceu minha menina
assim como o seu nome diz
(e eu não imaginava ser tão feliz)
Beatriz

28.3.10

poema de boas vindas

cresce em mim
mais do que a vida
são mil possibilidades
inda pequeninas
cresce aqui dentro
cores não vistas
em batidas rítmicas
cresce sereno
sem medo do frio
cresce pequeno
trazendo águas calmas
um novo parto
e uma nova chegada
.
e mais
sempre mais

20.2.10

novas cores


um tanto mais de cor, um pouco mais de sol.
águas intensas refrescando as tardes quentes,
flores brotando no meio do verde.
um caderno novo, um novo começo.
e aqui dentro também chove.
aqui dentro também nasce.
um agradecimento.
(como se fosse a primavera, e eu... vivendo)

imagem: Xenia Taler